(21) 3129-1653

Blog

É falso! Fazer exercício de máscara facial NÃO oferece riscos à saúde.

Especialista ouvido pelo Holofote trata como notícias falsas alertas sobre mortes durante a prática de atividades físicas com a proteção facial

“Pulmão de corredora entra em colapso durante exercício com máscara facial.”

“Dois meninos morrem na China enquanto usavam máscaras em aula de ginástica.”

“Homem usando máscara N95 desmaia enquanto dirigia e bate no poste.”

Tais manchetes, ilustradas com imagens de homens, mulheres e crianças fazendo exercícios com máscaras faciais, circulam nas redes sociais e deixam muita gente aflita e com dúvida. Ainda mais que, em tempos de pandemia, esses equipamentos de proteção são obrigatórios — no Distrito Federal, a falta da máscara rende multa de pelo menos de R$ 2 mil. Publicadas em inglês, muitas dessas “reportagens” aparecem em sites duvidosos.

Para afastar qualquer dúvida, o Correio Braziliense consultou um especialista, que analisou as imagens e as “matérias” em circulação nas redes sociais. Além de refutar a possibilidade de as máscaras provocarem mortes durante exercícios, o pneumologista Sergio Pontes Prado reforçou o uso para reduzir os riscos de contrair doenças respiratórias, assim como o novo coronavírus. Veja a resposta:

“Isso aí, realmente, é informação equivocada. Algumas a gente pode considerar como erros, notícias falsas. As máscaras, sejam elas convencionais, sejam cirúrgicas, sejam as mais específicas para os profissionais de saúde, como a N95 e/ou a PFF2, elas não têm capacidade de provocar hipóxia (privação de oxigênio). Por quê? A película e o filtro que elas utilizam não bloqueiam a passagem de ar. Elas fazem uma filtragem, um impedimento de que partículas que são bem maiores, como gotículas, certas bactérias, fungos e vírus, penetrem pela máscara. Mas causar hipóxia, de jeito nenhum. Então, essas notícias de acidente de carro com máscara, de não realizar atividade física com a máscara, é muito contraproducente em tempos de pandemia.”

Sergio Prado reforçou que as máscaras de pano também não oferecem riscos:

“As máscaras de pano, de tecido, não têm capacidade de provocar hipóxia. A não ser que o paciente, que a pessoa tenha muita criatividade, e confeccione uma máscara com plástico ou com borracha. Aí, vai ter um possível impedimento, que poderia causar um desconforto no paciente. Mas essa máscara convencional, que vem sendo orientada pelo Ministério da Saúde, não provoca hipóxia, porque ela também não bloqueia a passagem de ar, a passagem de oxigênio.”

Portanto, não há perigo no uso de máscaras faciais durante a prática de exercícios físicos.

Correio Braziliense 25/05/2020.

Aceitamos os seguintes convênios

para reabilitação cardíaca supervisionada

Abrir chat
Precisa de ajuda?